A importância dos Disjuntores

Sem os Disjuntores, a eletricidade doméstica seria impraticável devido ao perigo potencial de incêndios, danos resultantes de problemas na fiação elétrica ou falhas de equipamento.

Em uma residência, toda a fiação passa por um painel central de Disjuntores. Este painel inclui cerca de uma dúzia de Disjuntores ligados a vários circuitos dentro da residência. Um circuito poderia abranger todas as tomadas da sala de estar e um outro poderia reunir a iluminação em outro compartimento. Aparelhos maiores, como a central de ar condicionado ou o refrigerador, geralmente possuem seu próprio circuito.

Disjuntor é um dispositivo que funciona como um interruptor automático e tem como objetivo proteger os circuitos elétricos contra sobrecargas e curto-circuitos.

Sobrecarga: É uma corrente elétrica maior que a suportável pelos fios e cabos causada pela ligação de vários aparelhos ao mesmo tempo. Provoca aquecimento elevado, danificando a isolação dos fios.

Curto-circuito: É uma corrente elétrica que atinge valores altíssimos, muito superiores ao suportável pelos fios e cabos causada pela união de dois ou mais potenciais (ex: fase-neutro/fase-fase), criando um caminho sem resistência. Provoca aquecimento elevado, danificando a isolação dos fios.

Disjuntor detecta os picos de correntes inadequados ao circuito e interrompe a passagem de energia elétrica antes que danos possam danificar a instalação elétrica. Quando este evento ocorre, dizemos que o Disjuntor ”desarmou” e pode ser “rearmado” manualmente e voltar a proteger a instalação. Esta reutilização é a vantagem dos Disjuntores sobre os fusíveis – constituídos de um fio fino e planejados para romper quando aquecido acima de um certo nível para abrir e proteger o circuito, destruindo o fusível que deve ser substituído.

Alguns tipos de Disjuntores de Baixa Tensão DIN


Disjuntor Unipolar
Indicados para circuitos com uma única fase. Ex: Circuitos de iluminação e tomadas em sistemas monofásico fase/neutro com 127 ou 220V.

Disjuntor Bipolar
Indicados para circuitos com duas fases. Ex: Circuitos com chuveiros e torneiras elétricas em sistemas Bifásicos Fase/fase com 220V.

Disjuntor Tripolar
Indicados para circuitos com três fases. Ex: Circuitos com motores em Sistemas trifásicos com 220 ou 380V.

1) Como calcular a corrente do circuito a ser protegido

IB= P/V x Cos

– IB = Corrente elétrica do circuito, dado em Ampère (A)
– P = Potência do circuito, que é dada em Watts(W)
– V = Tensão da rede elétrica, que é dada em Volts(V)
– Cos = Fator de potência, que vale:
1 para lâmpadas comuns, chuveiro e torneira elétrica
0,92 para lâmpadas fluorescentes e tomadas de uso geral

Exemplo: Torneira Elétrica de 3500W-220V
IB= 3500/220 x 1 = 15,9A

2) Como definir o cabo correto

Em função da corrente máxima (IZ) que o cabo suporta, você determina o que atende o seu circuito.

Fio (Expessura Seção) Corrente Máxima
1 mm² 12A
1,5 mm² 15,5A
2,5 mm² 21A
4 mm² 28A
6 mm² 36A
10 mm² 50A
16 mm² 68A
25 mm² 89A

A norma de instalações elétricas NBR 5410, determina as seguintes seções mínimas:

– Circuito de iluminação: 1,5 mm²
– Circuito de tomadas: 2,5 mm²

3) Como definir o Disjuntor

A corrente nominal (IN) do Disjuntor, deve ser maior ou igual a corrente do circuito (IB)
A corrente nominal (IN) do Disjuntor, deve ser menor ou igual a corrente máxima do cabo (IZ)

Fonte: Revista Casa Decorada